Iniciando um Mochilão – Parte Final

Mesmo sem postar nada tem gente acessando meu site…rs

Bem já faz alguns meses que fiz meu mochilão e como era meu primeiro anotei ao máximo informações sobre os lugares por onde passamos, algumas dicas vocês podem conferir em parte 1 e parte 2. Agora vou descrever como foi fazer o mochilão e o que eu aprendi:

Nós compramos as passagens aéreas:

Sao Paulo x Lima x Cusco + Calama x Santiago + Santiago x São Paulo que custou R$1.300 cada

Começamos em lima, onde ficamos no Hotel Ramada (cortesia da LAN), um ótimo hotel localizado a frente do aeroporto, basta atravessar a rua, apenas tomamos banho e cafe e seguimos para Cuzco, assim que chegamos ficamos no Hostel Pariwana, pegamos um quarto com quatro camas e banheiro pelo preco de 33 soles a diária com cafe da manha, o hostel é bem limpo e tem um povo muito acolhedor.

As 13:30 começamos nosso citytour passando pelos pontos principais da cidade, conseguir ver pouca coisa pois minha namorada começou a se sentir mau por causa da altitude, mas conseguir ver os mais legais. Este City Tour estava incluso no pacote que fechamos com a Peru Info Cusco.

Imagem

No dia seguinte fizemos o tour do Vale Sagrado e Ollantaytambo, o tour foi muito legal, conseguimos um guia muito inteligente que nos contou muitas historias do lugar, de la esperamos nosso trem que partiu as 19:38 com destino a Águas Calientes, como fechamos o pacote , ao chegar em AC havia uma pessoa com nossos nomes nos esperando.
Em Ollantaytambo foi onde conhecemos a Roberta que estava com um roteiro bem parecido com o nosso, porém ela estava viajando sozinha, mas acabamos encontrando-a em vários pontos da nossa viagem.

Imagem

Imagem

Ficamos em um hostel bem próximo a ponte que leva ao trem e a frente do que se parece um mini bairro chinês, com vários restaurantes. O hostel era bem limpo, tinha água quente para banho e cobertores. 
Como chegamos as 22hs encontramos um restaurante onde comemos por 20 soles, sendo um prato de entrada, sopa, e um outro prato e claro um pisco grátis.

No dia seguinte seguimos a Machu Picchu, como resolvemos nao subir ao Huayna, dormimos ate as 9hs, tomamos cafe da manha continental por 8 soles e subimos a mp de ônibus, tivemos um guia muito bom que explicou toda a historia em um passeio de 2 hs, depois ficamos livres para ficar andando pois o ingresso é full day. 

Uma dica importante sobre a água em mp é que no restaurante custa 8 soles, porém ao passar a catraca, ao lado de onde você carimba seu passaporte tem um storage para você deixar suas malas, etc, lá vende água por 3 soles a garrafa e voce também pode enche-las na fonte em mp, que é muito boa e fria.

MP nao tem como explicar, e fotos podem mostrar o lugar mas nunca conseguiram transmitir a verdadeira sensação de como tudo foi construído e tão alto.

Imagem

Imagem

Imagem

Andamos mais um pouco por MP e voltamos para Águas Calientes para almoçar pois não levamos nada para comer e lá tudo e muito caro. 
Desta vez almoçamos com 60 soles, porem desta vez optamos ( eu e minha namorada) por comer um lanche, nossa amiga foi radical e pediu o famoso cuy al horno.

Imagem

Andamos mais um pouco pela cidade até dar o horário de voltarmos para Ollamtaytambo, utilizamos internet que é muito barato, 3 soles a hora.

Como nosso pacote já tinha a volta de Ollamtaytambo para Cuzco, uma pessoa estava nos esperando, ao chegarmos em Cuzco nos dirigimos as baladas, não me lembro o nome da primeira que entramos mas acabamos saindo devido ao forte cheiro de cigarro, entramos no famoso mama africa, haviam pessoas de vários países, a balada é bem legal, tinha uma banda tocando ao vivo, porém já era a última música.

No dia seguinte ficamos em Cuzco, conhecemos o museu onde é possível ver varias peças incas e até múmias, passamos em alguns mercados para comprar lembranças, este foi um dia apenas para descansar. Neste dia também fechamos o pacote da rota do sol para Puno, e um pacote que vale muito a pena pois você paga apenas 30 dólares e vai até puno conhecendo os seguintes lugares, Andahuylillas, Raqchi, Sicuani, La Raya, Pucara e finalmente Puno, neste passeio esta incluído almoço e bebidas quentes e frias no onibus.

Em Andahuylillas esta localizada uma igreja muito feia por fora, que até parece minúscula, mas após entrar voc
ê se depara com uma imensidão de arte e muito ouro num espaço gigantesco.

Em Raqchi se tem uma historia sobre o templo dedicado ao ori qhancha, onde se tem belas ruínas e um visual surpreendente.

Imagem


Após Raqchi paramos em um restaurante na estrada na cidade de Sicuani, comida muito boa e com sobremesa, bebidas são um pouco caras, 5 soles a coca cola mas é possível comer muito bem ja que é self-service.

La Raya é uma montanha localizada a 4335 metros do nivel do mar, o pico tem neve, mas bem pouca, esta parada tem alguns vendedores, poucas coisas diferentes do que se encontra em Cuzco, também é possível tirar fotos com Alpacas.

Imagem

Imagem

Em Pucara conhecemos o museu, onde existem varias peças incas e foi onde eu descobri o que significa a palavra camelido, esta era a antiga representação para o símbolo do equilíbrio que hoje  são os touros, na época inca eram lhamas com cabeças de  puma.
Não ha nada de mais na cidade a não ser o museu e a grande igreja no centro, porem se você fizer o passeio sem guia será difícil entender a história.

Imagem

Puno é uma cidade bem pobre, como em todo o restante do peru muito acolhedora, ficamos no hotel Dom Julio, sendo 70 soles o quarto para 2 pessoas, a noite é bem frio, comemos pizza que no total da conta deu 67 soles, sendo 1 pizza grande e 1 pequena, coca cola 2.25 litros e 2 cusquenhas.
Os bancos ou atm estão localizados na av principal que se chama Lima, no banco continental e cobrado uma taxa de 14 soles por saque, em Cuzco esta taxa era de 7,50.

Imagem


Copacabana

Esta cidade não tem nada demais, a não ser os barcos com destino a ilha do sol, a cidade é bem pequena, possui apenas um banco que cobra 5% de taxa por saque.
Preferimos dormir na ilha do sol, conseguimos um alojamento por 15 bolivianos por pessoa na ilha sul, de noite fez bastante frio, mas não foi preciso saco de dormir.

Imagem

No dia seguinte seguimos para La Paz, já tínhamos comprado as passagens no dia anterior, a viagem foi tranquila, durou umas 5 horas, pegamos um pouco de transito na entrada de La Paz.

Chegando lá ficamos no Hotel Berlina, na calle llampu, porém como chegamos no sábado de noite não deu para fazer muitas compras, no domingo muitas lojas estavam fechadas, mas conseguimos comprar algumas blusas.

No domingo fechamos o pacote do Salar de 3 dias e 2 noites e já compramos as passagens até Uyuni.

Pegamos o onibus da Panasur, no total são 13 horas de viagem, foi tudo tranquilo até ficarmos próximo de Uyuni onde o frio era demais, como chegamos as 7hs da manhã a temperatura estava por volta  dos -12 graus e para nossa alegria a pessoa que estaria nos esperando para o tour não foi porque estava bebada, pois no dia anterior teve uma festa da cidade de Uyuni.

Nosso pacote do salar que foi fechado com a travel tracks ainda em La Paz, porém a empresa do salar furou e disse que só teria o passeio no dia seguinte, graças a Maritza, que aceitou nosso voucher disse que precisaríamos de mais duas pessoas para partir ou então pagar mais 140 dólares para irmos apenas os 4, foi o que fizemos.

Nosso guia foi o Luis Mario, um figura total, muito brincalhão,engraçado e ótimo cozinheiro, como já era tarde (12hs), decidimos não passar no cemitério de trens para não perdermos muito tempo.
No Salar estava bem frio mas conseguimos tirar umas fotos bem legais, dormimos no Hotel de Sal Samarikuna, bem quentinho, também não precisamos de sacos de dormir, no dia seguinte seguimos para as lagunas, e dormimos próximo a laguna colorado, aqui sim o frio era demais, foi preciso utilizar o saco de dormir e vários cobertores, fez uns -20º.
Todas as refeições preparadas pelo guia estavam ótimas, ponto positivo para ele por ter levado toddy…rs
Depois do frio intenso, minha namorada passou muito mal de noite, e eu acabei não dormindo muito bem, acordamos as 5:30 e seguimos aos geysers, tomamos café na frente das águas termais, porém o frio não deixava entrar, mas tiveram vários gringos doidões que entraram.

Imagem
Imagem
Imagem

Apos o café seguimos até a laguna verde, Arbol de Piedra e finalmente a fronteira, carimbamos nossa saída da Bolivia e esperamos o ônibus da colque tours nos buscar, pagamos 40 bolivianos pelo ônibus, já que não tínhamos comprado em Uyuni,  na imigração
chilena foi tudo fácil, já que nosso motorista pegou nossos passaportes e levou para carimbar, ficando para nós apenas passar as mochilas no raio x, desembarcamos em frente a colque tours em San Pedro de Atacama.

Imagem
Imagem
Imagem
Imagem

A maioria dos hotéis e hostels já estavam lotados pois na sexta feira dia 16 de julho era feriado, por sorte achamos o hotel Licancabur que fica na calle toconao, pegamos um quarto duplo sem banheiro privado e um de casal com banheiro, assim dividimos tudo que ficou em 70.000 pesos por 2 noites.

Chegamos por volta das 13hs, após deixarmos as malas no hotel seguimos para o almoço, comemos no La Estaka que está recomendado no guia, comemos lanches que custou por volta de 3800 com cerveja.
Recomendo comer sorvete na Sorveteria Babalu, muito bom e custou 1800 pesos 2 bolas gigantes.

De noite Jantamos no la cave, comemos lazanha e sopas, com suco e pisco sour que custou ao todo 15000 pesos.
Não fizemos nenhum passeio em San Pedro, ficamos apenas descansando e andando pela cidade.

Compramos passagem para Calama pela cia Intertrans que custou 2500 pesos, e seguimos para o Aeroporto de Calama onde tomamos um chá de cadeira pois o vôo acabou atrasando.

Chegamos em Santiago por volta das 22hs, como tínhamos reserva no Che Lagarto seguimos para lá, porém o endereço que a gente tinha era antigo, o mesmo tinha mudado para o centro, seguimos para lá, o novo prédio deles é bem legal, porém eles pisaram na bola com nossa reserva e tivemos que ficar todos separados, no dia seguinte saímos procurando outros hostels e encontramos o Hostel Santa Lucia bem em frente ao Cerro Sta Lucia, pegamos um quarto para 4 pessoas e ficou 10.000 pesos por pessoa.

Este hostel é para quem quer um lugar mais tranqüilo, o pessoal é bem acolhedor e é tudo bem limpo.

Em Santiago conhecemos os bares, o centro, Plaza das Armas, outlet Adidas e Nike, Zoológico e conseguimos ver o famoso Ultimo Chingón na Lucha Libre Año Cero VI.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Como abrimos mão de conhecer neve, convertemos nosso passeio em roupas e vinhos…rs

O tempo em Santiago não estava muito bom, estava bem nublado e segundo o noticiário era a semana mais fria do Chile nos últimos 30 anos, mas mesmo assim pegamos um dia e seguimos para Viña Del Mar e Valparaíso, o ônibus ida e volta para lá ficou em 5.500 pesos, chegando em Viña fechamos um City Tour completo passando pelos principais pontos por 8750 pesos.

Nosso gasto total, sendo eu e minha namorada foi de mais ou menos 3200 reais (sem as passagens) os dois incluíndo roupas e lembrancinhas, ainda tenho alguns comprovantes de passeios etc, depois vou fazer o levantamento e coloco os preços para vocês, quem quiser perguntar fique a vontade.

Quem quiser ver mais fotos acesse meu flickr: http://www.flickr.com/neyestrabelli

Quem quiser ver um pedacinho de Lucha Libre segue um videozinho que eu gravei.

Iniciando um Mochilão – Parte 2

Mochilão Parte 2

Demorei, mas está aqui a segunda parte do que eu estou descobrindo sobre como fazer um mochilão.

Nesta parte quero compartilhar com vocês sobre softwares para montar roteiros.

Primeiro de tudo, existem vários sites na internet onde você pode montar seu roteiro de viagem, da mesma forma existe uma grande massa de aplicativos para Desktop (windows, Mac), assim como para o mundo mobile, iPhone, Android, etc.

A príncipio vou destacar  os aplicativos que eu testei e o que eu melhor me familiarizei, como faz alguns anos que não sou usuário de Windows não sei como estão os aplicativos para esta plataforma, mas me lembro que o Microsoft Street fazia isso bem.

Minhas dicas são válidas para que utiliza Mac e iPhone, porém no caso dos aplicativos Web, basta usar qualquer browser (firefox,safari, IE, etc.).

Começando pelo aplicativo para Mac:

KnapSack

Foi difícil encontrar um aplicativo bacana para Mac, porém achei o KnapSack, que é um ótimo aplicativo para você montar roteiros, você pode adicionar qualquer informação sobre sua viagem, inclusive este te mostra um mapa em que você pode colocar o “alfinetes” por onde você irá passar.

Um ponto forte dele é para quem gosta de imprimir o roteiro para ter sempre a mão, ele monta seu roteiro dia a dia com horários o que facilita para a consulta posterior, ele também exporta as datas para você sincronizar com o iCal que posteriormente pode ser sincronizado com o iPhone.

Seu ponto fraco está em seu preço pois custa U$ 39,95 , bem caro porém tem uma versão Trial de 30 dias para você testar.

Como comecei a fazer meu roteiro a um bom tempo atrás, meu tempo de teste se esgotou e acabei por não comprar o KnapSack por causa do preço, a saída que eu encontrei foi procurar aplicativos para iPhone e algo na web que possa consultar de qualquer lugar.

No mundo web, existem vários sites que permitem que você crie seu roteiro, inclusive você pode deixá-lo privado/público, compartilhar só com as pessoas que vão fazer a mesma trip que você, etc.

Os serviços que eu testei foram:

Travel Planner Yahoo! – http://travel.yahoo.com/trip

A príncipio gostei bastante do Travel Planner, porém achei meio chatinho de fazer edições e foi onde eu percebi que muitos dos lugares por onde eu passarei não terá internet.

Trip Case – http://www.tripcase.com

Aplicativo iPhone : TripCase (link itunes)

Este foi o primeiro  site de roteiro que eu achei que tinha aplicativos mobiles, gostei bastante dele e me interessei mais pela sincronia com um app para iPhone, porém o app do iPhone nada mais é que um WebApp que se conecta no site.

TripIt – http://www.tripit.com

Aplicativos iPhone: TripIt (link itunes)  TripDeck (link itunes)

Este foi o segundo site que eu testei quem tem aplicativos mobiles e o que eu mais gostei, pois ele busca seus vôos, Hotéis, hostels, etc e adiciona mapas no seu roteiro, além de sempre mostrar algumas dicas da cidade que você está passando, seu aplicativo para iPhone funciona bem, porém poderia ser bem melhor, aliás tem aplicativo também para BlackBerry e Android.

Continuei minhas buscas por aplicativos para iPhone e acabei por encontrar o TripDeck, este não pede para você se cadastrar em nenhum serviço Web, permite fazer seu roteiro offline, quando online ele  busca vôos, mostra mapa quando você informa o endereço, e a sacada do aplicativo é permitir sincronização com o TripIt, ou seja, você pode fazer seu roteiro inteiro no TripIt e depois pedir para o aplicativo buscar as informações que ficam offline no aplicativo.

Como meu roteiro tem um buraco e será decidido durante a viagem, quando eu voltar postarei ele completo e mais algumas dicas.